O que esperar de Amanhecer – Parte 1

Assisti a primeira parte do filme Amanhecer, baseada na obra de Stephenie Meyer e te digo, o filme não decepciona os fãs da saga.

Minha opinião sobre os filmes baseados em livros é muito crítica, sou uma leitora obsessiva, devoro livros e o que eu mais amo é entrar no clima das histórias, mas adaptações cinematográficas, principalmente as hollywoodianas, são pobres de detalhes, repleta de modificações e clichês tipicamente americanos. Quando li os livros me apaixonei logo de cara, li Crepúsculo em uma noite e fiquei fascinada pelo mundo – admito, não muito original – criado pela Stephenie Meyer. Deixo claro que esta não é uma história clássica sobre vampiros super sexies, sedentos de sangue que costumamos ver por aí, aliás, esta história não deve ser vista como uma história de vampiros, ela é mais uma história de amor, vamos dizer que é uma versão teen de Romeo e Julieta do século XXI.
Não devemos tirar o mérito de Meyer, pois graças a Saga muitos adolescentes tiveram coragem de ler um livro pela primeira vez, este é um fato muito importante numa sociedade que não possui tal costume.

Entrei na sala do cinema completamente cética, não gostei dos filmes anteriores da Saga, por terem alterado fatos importantes da história com atores aparentemente despreparados que não conseguiram acertar o tom dos personagens. Mas mais do que tudo isso, não gostei dos filmes por achar que os atores não condiziam com a descrição dos personagens em sua aparência tampouco sua psiquê. Enfim, adoradores de livros sempre estão fadados a este tipo de decepção, pois o personagem que criado em nossa imaginação é sempre melhor.

Amanhecer me surpreendeu de todas as formas possíveis, quando o filme terminou (#dica: aguardem o final dos créditos, tem algumas cenas especiais), saí em estado que choque, o filme foi muito FODA.
O filme começa com os preparativos do casamento de Bella e Edward, tudo lindo e maravilhoso, Alice como sempre sabe preparar uma festa. A cerimônia, os votos, o vestido de noiva da Bella, a piadinha infame do Emmett, a invejinha amarga de Jéssica, o humor peculiar de Charlie, tudo foi absolutamente perfeito, digno de um casamento épico.

Este filme seguiu fielmente a história contada por Meyer – confiem, li 10 vezes cada livro, sei do que estou falando -, não vou contar muito sobre a lua de mel, que também foi perfeita, ver Robert Pattinson falando o nosso querido Português é a coisa mais carismática do filme, dá até vontade de aprender a falar português (sarcasmo).

As cenas de sexo não são tão fortes assim, não é algo que sua filha de 13 anos nunca tenha visto ou ouvido falar – ou feito, mas deixa isso pra lá. Nestas cenas Kristen Stewart consegue mostrar o lado sensível de Bella que ficou tão oculto nos outros filmes, o lado engraçadinho e romântico que ainda não tínhamos visto. E é indiscutível a química que existe entre o casal, é como se fossem metades de um todo, eles se completam em cena. Os efeitos especiais também merecem atenção especial, todos sabem como Bella sofre com a gravidez de seu bebê meio vampiro-meio humano, seu corpo não é compatível com a força do feto e consequentemente ela enfraquece muito num período muito curto de tempo. Observem os efeitos especiais usados em Kristen, numa entrevista ela disse que não precisou emagrecer nem fazer dieta, eles usaram uma máscara para fazer com que parecesse cada vez mais magra (computação gráfica). Nesta parte da história a cumplicidade entre Rosalie e Bella fica evidente, ambas lutam pelo mesmo objetivo insano, o desespero de Alice por não poder ver o futuro de Bella, a raiva de Edward por não ter o que fazer e a parte mais fofa de todas, quando Edward começa a ouvir o bebê, essa cena é linda!

Jacob está indescritível neste filme, é impressionante o amadurecimento do personagem e seu criador, a discussão com Sam, a luta com seus irmãos para proteger os Cullens (que não existe no livro, mas acrescentou muito para a história) e por fim o momento em que Jacob sofre o imprinting*.

Uma das cenas mais intensas, além da lua de mel, são as cenas do parto, tudo muito realista, Bill Condon não poupou esforços nestas cenas e valeu a pena. O desespero de Edward em salvar Bella é comovente e emociona muito. E o filme acaba onde todos acharam que acabaria na transformação de Bella.

Eu já falei uma vez, mas não custa repetir, aguarde o final dos créditos, pois tem cenas especiais da continuação só para atiçar nossa curiosidade.

Vale muito a pena assistir este filme.

*imprinting: segundo a explicação de Jacob “é quando o que te prende a Terra não é mais a gravidade e sim a pessoa amada.”

Anúncios

Lentes redondas 0-0

Por Débora Gumiero

Nos anos 70, Ozzy Osbourne e John Lennon, usavam como marca registrada os round glasses. Também símbolo da era hippie. Agora em 2011 eles voltam com tudo nos rostinhos dos famosos de hollywood e nos desfiles de primavera verão em Milão.

Alguns modelitos:

Round White

 

Celebridades

E como esquecer do Harry?

John Lennon

Ozzy com lentes azuis

Resultado Concurso Cultural – Halloween

O blog Elamundo promoveu seu primeiro concurso cultural no mês de outubro desse ano com o tema Halloween, e cá entre nós, foi um sucesso de participações!!!

Ok, sem delongas…

O ganhador foi João Pedro de Barros Souza de PE!!!

Parabéns João, adoramos sua criatividade… Em breve a saga HP estará chegando em sua casa.

***E se você gostaria de sugerir outros temas ou prêmios para concursos culturais envie para elamundo2011@gmail.com

A equipe Elamundo agradece a participação de todos!

Elabeijos