Dica de leitura: Um Homem de Sorte

Por Caroline Nishi

É certo que algumas coisas sempre aparecem para complementar outras e isso é constante na minha vida, principalmente quando se trata de livros e filmes. Eu tinha comprado este livro e meus amigos ficaram alvoroçados pra eu começar a ler, mas até então eu não estava muito no clima de ler um romance do Nicholas Sparks e tinha até começado a ler outro, mas eis que resolvo assistir o trailer do filme – que será lançado hoje! -, e me encantei pela história principalmente depois de descobrir que o protagonista é o Zac Efron. Grito histórico – Ahhhhhh!!!! -, eu sei que soa infantil e blá blá blá, mas eu vi esse menino crescer assistindo HSM e cresci junto (bom, nem tanto assim vai, eu já era velha na época), e eu não botava muita fé no talento dele como ator até assistir Vida e Morte de Charlie St. Cloud, se ainda não assistiu você DEVE assistir.

Enfim, estamos falando de Nicholas Sparks, um dos autores mais idolatrados da literatura atual e seus livros sempre são sinônimos de duas coisas: 1. romances realmente bons e 2. você com certeza vai se emocionar em alguma parte da leitura, o que significa chorar horrores (parafraseando meu amigo Evandro). Seus temas giram em torno de valores e sentimentos tão ausentes das nossas vidas hoje que qualquer menção a um deles faz sua leitura muito mais rica e ao mesmo tempo triste ao pensar na utopia de viver algo semelhante. Se você assistiu/leu Um Amor pra Recordar, A Última Música, Querido John, Diário de uma Paixão sabe do que estou falando.

Nessa história, ele nos apresenta Logan Thibault, um cara que viveu uma vida regrada e sempre conseguiu o que queria, ele sempre tinha um plano. Ele quis ser bem-sucedido na escola e conseguiu, ele queria praticar todos os esportes e cresceu praticando quase todos. Quis tocar violino e aprendeu. Depois de se formar na faculdade, decidiu que queria entrar para os Fuzileiros Navais, assim como seu pai, e entrou.

Com tudo o que aconteceu após os atentados do dia 11 de setembro, não fica difícil imaginar por quais caminhos Logan percorreu, Kuwaitt e Iraque foram alguns de seus destinos, e por mais triste e traumático que um cenário de guerra pode ser, não foi ela que mudou o rumo da sua vida, o divisor de águas foi uma foto que ele encontrou durante suas corridas matinais no deserto e a partir de então o inesperado, o impensado e o não planejado passa a acontecer na vida dele.

A foto é um pouco antiga de uma garota de uns 20 poucos anos de idade. Ela vestia uma camiseta estampada com a frase garota de sorte, com uma pequena mensagem escrita no verso “Se cuida! E.”. Num primeiro momento, Logan pensou que alguém tivesse perdido, então afixou a foto no quadro de avisos do centro de informática na esperança de o dono, mais cedo ou mais tarde, passar por lá. Após algumas semanas a foto permanecia no mural e num ímpeto, que ele jamais soube explicar, Logan pega a foto e guarda no bolso e desde então ela o acompanha aonde quer que vá.

Após uma partida de poker, ele explica a seu amigo Victor como encontrou a foto e destaca a frase na camiseta da garota. Victor, muito supersticioso, diz a Logan que aquele é seu amuleto da sorte, foi encontrado no momento mais poderoso do dia, o amanhecer, e lhe diz para jamais perdê-la pois sua perda poderia significar o efeito contrário e azar não é um luxo que se pode ter quando se está no meio da guerra. Logan, mesmo não acreditando muito nessa história de amuleto da sorte, carregar a foto consigo onde quer que vá e inexplicavelmente se livra de várias situações de perigo e escapa da morte várias ocasiões e com isso, acabam surgindo boatos de que ele tem pacto com o demônio. Depois de alguns anos de serviço eles resolvem pedir licença, ambos haviam feito a parte que lhes cabiam, Victor queria se casar e Logan já estava cansado da guerra.

Logan foi padrinho de casamento de Victor, a amizade resiste à guerra e um dia eles resolvem sair para pescar somente os 2 para relembrar os velhos tempos. Durante a pescaria Victor volta a tocar no assunto da foto, diz que Logan deveria ir atrás daquela mulher, pois ele acha que a história deles ainda não acabou, falta um equilíbrio que só será encontrado quando Logan a conhecer. Ele ainda permanece resistente à ideia de ir atrás dela e tem medo de não conseguir encontrá-la, mas Victor está tão convicto de que ele vai conseguir encontrá-la que, após acontecimentos alheios à sua vontade mas que reafirmam a teoria do amigo, Logan resolve arriscar e parte numa jornada em busca da misteriosa E.

Ele faz sua mochila e bota o pé na estrada com seu fiel companheiro Zeus. Logan atravessa o país a pé e quando chega à cidade de Hampton tem uma estranha certeza de que aquele é o seu lugar. Não demora muito para ele descobrir que o nome da mulher da foto é Elizabeth, ex-mulher de um policial conhecido na cidade e que administra um canil junto com Nana, sua avó. Na manhã seguinte ele vai procurá-la e descobre que está precisando de um ajudante para o canil e essa lhe parece a maneira ideal de agradecer. Mas Logan não estava preparado para o encontro com Elizabeth, ela era apenas um amuleto, um sonho utópico e vê-la assim na sua frente foi no mínimo chocante, ao fitá-la pela primeira vez em 5 anos, Logan constata que a fotografia não fez a mínima justiça à sua beleza. Ele se sente naturalmente atraído por ela, Elizabeth, por sua vez, não sabe nada sobre este estranho que está se candidatando a vaga de ajudante no canil, então se mantém arredia.

A vida de Elizabeth não é nada fácil, ela é professora, nas horas livres ajuda Nana (sua mãe) no canil, precisa cuidar de Ben, seu filho de 12 anos e além de tudo ter paciência e tempo para lidar com o imaturo ex-marido, o policial Keith Clayton. Inexplicavelmente, sua vida amorosa é quase nula, toda vez que conhece um cara interessante ele desaparece, para de ligar, não responde suas ligações e nunca mais a procura e numa cidade pequena como Hampton você não tem muitas opções. Quando Logan aparece em sua casa é quase impossível não notar sua beleza rústica e encantadora, ela percebe que ele não é um cara que gosta de se mostrar, ele é introspectivo e muito reservado, além de ser muito educado, e o fato de ele ter saído do Colorado e atravessado praticamente todo o país a pé para chegar em Hampton e trabalhar como ajudante num canil é uma ideia que ela não consegue aceitar.

O relacionamento dos dois não começa muito bem, primeiro porque Logan decide não contar o que verdadeiramente o trouxe à Hampton, segundo porque, além de Elizabeth achar que Logan é louco por atravessar o país a pé e não acreditar 100% nos seus motivos, ele é ex-fuzileiro naval e isso ainda lhe traz lembranças muito tristes. Mas aos poucos e com a ajuda de Nana, eles vão se conhecendo melhor, quebrando algumas barreiras, Logan deixa de ser tão reservado e Elizabeth passa a apreciar mais sua companhia e, assim como a noite vem depois do dia, é inevitável que eles se apaixonem.

Este, com certeza, é o melhor romance que li do Nicholas Sparks, mais maduro, consistente e real, sem aquele sonho utópico de que o amor muda as pessoas, sem aqueles clichês tão comuns num romance. Neste livro ele fala de um amor que não vem pronto, não é a primeira vista tampouco efêmero, é um amor feito para durar a vida inteira, que parece predestinado, natural, aquele que acontece aos poucos, sem pressa, que é cultivado dia após dia, não com poemas e declarações shakesperianas de amor, mas numa simples troca de olhares ou em uma hora de conversa, um se torna a extensão do outro, este amor é um daqueles motivos de valer a pena buscar algum sentido na vida.

E mais uma vez falo de destino, o que é destino para você?

Você acredita que tudo o que acontece tem um motivo, uma razão de ser, indepente de ser sua escolha ou não, ou você acredita que destino é a consequência de certas escolhas que ecoam pelo resto da sua vida?

Eu ainda não sei se acredito em destino, sou uma pessoa muito mais científica que de fé, preciso ver pra crer, saber como funciona, por que é assim, por que é assado, cutucar e ver se é real. Mas, como eu disse, mais uma vez estou aqui falando de destino e o grande E SE? da vida.

E SE o cara não tivesse perdido a foto, ele estaria vivo? E SE Logan não tivesse encontrado a foto, ele estaria vivo para contar a história? E SE ele não tivesse ido atrás de Elizabeth, tudo isso teria acontecido?

Logan, assim como nós, estava à espera de um pequeno sinal da vida, aquele que te diz “esse não é o seu caminho, vá por aquele outro” ou aquele momento em que tudo o que você havia planejado rui diante dos seus olhos, para ultrapassa a linha tênue que o separava do destino e suas escolhas, pois quando suas escolhas já não fazem mais sentido, nada mais sensato do que parar de planejar e seguir o curso da vida, onde quer que ele te leve, afinal, o seu destino por ser surpreendente.

Bom, agora tenho que ir, vou assistir Um Homem de Sorte e não posso chegar atrasada, depois eu conto como foi.