Quem disse que tem que ser magra pra ser feliz?!

Por Débora Gumiero

Nos últimos dias temos ouvido falar bastante sobre a ditadura da magreza, seja no local clássico “passarela” ou em propaganda de academias que já foram boas. Um caso conhecido é o da cantora Adele, pois é, recentemente a cantora foi chamada de ‘gordinha demais’ pelo estilista Karl Lagerfeld (CHANEL) , mas rebateu se dizendo contente com seu peso e forma. Outro caso recente é a propaganda agressiva da academia Runner que criou um outdoor que perguntava o seguinte: “Neste verão, você quer ser sereia ou baleia?” Geeeeente, o que que é isso?!? Eles perderam a noção ou as pessoas que estão cegas e burras? Por favor, ser magro é legal, porém, não é sinônimo de felicidade. Engana-se quem vai para a academia em busca da felicidade, felicidade é um conjunto de coisas e acontecimentos da vida somados, não é estar magro que tudo fica lindo, na real, você tem que estar bem com você, estar com os pensamentos leves e resolvidos entre outras coisas.

A MELHOR MANEIRA DE MELHORAR O PADRÃO DE VIDA, É MELHORAR O PADRÃO DO PENSAMENTO… 😉

“Eu nunca quis ser como as modelos nas capas das revistas. Eu represento a maioria das mulheres e tenho orgulho disso.” Adele

Obs.: Mesmo assim, Adele foi capa da VOGUE:

“Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.” Autor desconhecido

Anúncios

Charlotte Casiraghi para Vogue Paris

Por Ana Lícia Franco

A edição de setembro da Vogue e de tantas outras revistas são as mais importantes do ano e em setembro de 2011 a escolhida para a capa da Vogue Paris tem sangue azul e um pé em Hollywood. Charlotte Casiraghi é filha de Caroline de Mônaco, sobrinha de Stephanie e neta da Princesa e atriz  Grace Kelly foi clicada pelo fotógrafo peruano Mario Testino e mostra que a boa genética da família está bem representada pela nova geração no Principado de Mônaco.

Plus size com orgulho!

Por Ana Lícia

De tempos em tempos surge pessoas querendo quebrar todos os padrões estabelecidos. Desde que a Kate Moss surgiu com o movimento “Heroin chic” que as modelos magérrimas tomaram posse das passarelas, catálogos, revistas, comerciais e outdoors. Mas o império das magras se não está no fim, com certeza vai estremecer com a chegada de menina lindas, com atitudes e assumem que são gordinhas e são imensamente felizes com seus corpos. O movimento ganhou o nome de Plus size, ou tamanho grande. O mundo da moda está antenado nessa tendência e está se preparando para essa nova clientela.

A cantora Adele é uma inglesinha linda que chegou abalando o mundo da música e o da moda. Com o seu segundo albúm ela bateu um recorde sendo a primeira artista viva a ter uma canção e um álbum como número um ao mesmo tempo na parada britânica desde os Beatles. E ela só está começando.

As modelos Tara Lynn, Candice Huffine e Robyn Lawley conquistaram a capa da Vogue Itália de junho com um editorial MEGA sensual, mostrando que não importa o número que apareça na balança elas são sexys.

Essa é a Beth Ditto é com certeza a gordinha mais punk que já apareceu no mundo da moda e música. Vocalista da banda Gossip, lésbica e com quase 100 Kgs, ela é presença constante nos festivais de música. Presença rocker plus size fashion.

Quem é quem na moda.

Essa é Anna Wintour a editora-chefe da Vogue América e a editora de moda mais influente do mundo. É ela quem diz o que vai ou não ser moda no mundo fashion.  Foi ela que catapultou a carreira da über  model Gisele Bündchen e dos estilistas John Galliano e Marc Jacobs entre outros. Sua fama migrou do mundinho da moda para as páginas de celebridades depois que sua ex-assistente pessoal Lauren Weisberger escreveu um livro que diz ser completamente ficcional e que foi adaptado para o cinema intitulado O diabo veste Prada. No filme a atriz Meryl Streep interpreta Miranda Priestly editora-chefe da Runaway. Apesar de Lauren afirmar categoricamente que seu livro é ficcional é automático pensar que foi baseado na sua convivência com Anna Wintour, ainda mais se juntarmos a já fama de durona, tirana e mão-de-ferro de Anna. Todos os anos Anna promove a festa “Costume Institute Gala”, baile de gala do Metropolitan Museum of Art em Nova York que atrai pessoas do mundo da moda, cinema, televisão e  esportes. E em 2009, Anna lançou um filme para mostrar os bastidores da revista no mês mais importante para a moda The September Issue. O trailler você vê aí em baixo Resumindo: é ela quem manda e desmanda no mundo bilionário da moda.

 

 

 

Emmanuelle Alt é a nova editora-chefe da Vogue francesa, nova porque assumiu o cargo em janeiro, mas sua primeira capa foi publicada em março. Ela teve que substituir o mito fashion e uma de suas melhores amigas Carine Roitfeld, no cargo por 10 anos,  o que pode ser interpretado como uma continuação do trabalho, já que não é uma mudança muito drástica. Em sua primeira capa comandando a Vogue France, Emmanuelle colocou a brasileira Gisele Bündchen usando um vestido branco de renda de Dolce & Gabbana. Mesmo no cargo a pouco tempo já demonstra personalidade no comando e só podemos esperar coisas boas.

Apesar de ser italiana Anna Dello Russo é a editora-chefe da Vogue Japão e com certeza é a mais excêntrica e fashion victim de todas! É a queridinha dos fotógrafos de street style e não é por menos, ela tem obsessão por sua imagem e por suas roupas e por isso mesmo chama atenção por onde passa. Não à toa ela já declarou ser doente por roupas, sua obsessão já invadiu cozinha e porão de sua casa, onde mais ela colocaria 4 mil pares de sapatos! Com metade eu já seria muito feliz! Anna trouxe visibilidade e importância para a esquecida Vogue Japan.

                                                                                                    

Franca Sozzani é a editora com mais tempo de casa, está no comando da Vogue Itália a 23 anos e podemos dizer que é a menos glamourizada dentre as poderosas. Porém não é menos polêmica e mostra isso em frases ríspidas e idéias e trabalhos polêmicos na Vogue como o uso de peles e recentemente lançou a campanha contra a anorexia na moda usando 3 modelos plus size na edição de junho da revista.